Teste Teste Teste Teste

terça-feira, 10 de agosto de 2010

RARINE: A BAIXINHA QUE FAZ A DIFERENÇA

A TELEMACOBORBENSE RARINE FEZ TRÊS DOS QUATRO DE HOJE

Curitiba (PR) - O Cancun/Coritiba-PR conquistou um bom resultado na tarde desta terça-feira (10/8), ao bater a Portuguesa de Desportos-SP pelo placar de 4 a 2, em uma partida muito equilibrada, ocorrida no ginásio Cancun, em Curitiba (PR) e válida pela Divisão Especial da Taça Brasil Feminina Sub-15. Com o triunfo as paranaenses assumiram a liderança isolada da chave A, com seis pontos. A Portuguesa permaneceu sem pontos.

A Portuguesa iniciou o confronto atuando muito bem, já que pressionava a saída de bola do Cancun e chegava com perigo à meta paranaense. Mas quem marcou o primeiro gol foi o time da casa. Em rápida jogada de ataque a bola chegou aos pés de Rarine que bateu bem e abriu o placar.

A partir daí o Coritiba passou a comandar o jogo, atuando com tranquilidade e tocando muito bem a bola, em busca da ampliação da vantagem já adquirida. Tanto que a equipe paranaense logo chegou ao segundo tento. Rarine recebeu passe na direita de ataque e, rente a linha lateral, avançou para bater forte e marcar o segundo tento de seu time.

A Portuguesa, nos minutos finais do primeiro tempo, tentou a marcação de seu primeiro gol, mas encontrou dificuldades em ultrapassar a forte marcação imposta pela defesa paranaense. O lance de maior perigo foi um chute que acertou o pé da trave direita a meta coritibana em arremate de Thayna, da Portuguesa.

Na segunda etapa a Portuguesa voltou bem e logo conseguiu descontar. Depois de um bate rebate na defesa paranaense, Thayna apareceu livre de marcação e bateu rasteiro para marcar o primeiro gol da Lusa. No minuto seguinte as paulistas empataram em gol de Karol, que bateu cruzado da esquerda de ataque.

A partida ficou aberta e os dois times continuaram atacando, em busca da vitória. A Portuguesa se aproximava mais do gol, porém quem marcou foi o Coritiba. Kym arriscou chute de longe e contou com desvio no meio da trajetória para vencer a goleira Grazi, do time paulista. No final as paranaenses ainda marcaram com Rarine, garantindo o resultado.
Para o técnico Sandro Ricardo, do Cancun, sua equipe oscilou muito na partida. “Essa categoria tem um problema característico que é uma oscilação psicológica no decorrer dos jogos. Conosco foi assim e, no momento do segundo gol paulista, parei o jogo e reorganizei o psicológico das jogadoras. Creio que isso fez a diferença para a vitória”, disse.
Fagner Pinho
Assessoria de Imprensa da Liga Futsal
imprensa@ligafutsal.com.br
(62) 3274-1337/3274-1431
←  Anterior Proxima  → Inicio
Postar um comentário

Seguidores

Total de visualizações